Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 29 de maio de 2012

"Nem vem tirar meu riso frouxo com algum conselho que hoje eu passei batom vermelho, Eu tenho tido a alegria"

MAU ou MAL

a)    MAU é um adjetivo e se opõe a BOM:“Ele é um mau profissional.” (x bom profissional);
“Ele está de mau humor.” (x bom humor);
“Ele é um mau-caráter.” (x bom caráter);
“Tem medo do lobo mau.” (x lobo bom);
b)    MAL pode ser:
1.    advérbio (=opõe-se a BEM):
“Ele está trabalhando mal.” (x trabalhando bem);
“Ele foi mal treinado.” (x bem treinado);
“Ele está sempre mal-humorado.” (x bem-humorado);
“A criança se comportou muito mal.” (x se comportou muito bem);
2.    conjunção (=logo que, assim que, quando):“Mal você chegou, todos se levantaram.” (=Assim que você chegou);
“Mal saiu de casa, foi assaltado.” (=Logo que saiu de casa);
3.    substantivo (=doença, defeito, problema):“Ele está com um mal incurável.” (=doença);
“O seu mal é não ouvir os mais velhos.” (=defeito).
Na dúvida, use o velho “macete”: 


Quando usar Mau? No momento em que houver possibilidade de substituirmos pela palavra Bom, que é o seu antônimo.

E quando usar Mal? Somente quando puder ser substituído por Bem. Muito simples, não?

Uso do MÁS, MAS e MAIS

1. O uso do mas (substitua-o por entretanto, porém).
Ex.: Ela disse que compraria o livro, mas ela não o fez.
2. Más é o feminino de maus; significa perversas, ruins, de conseqüências ruins.
Ex.: São pessoas más, vingativas, perigosas. A garota trazia más lembranças daquele tempo.
3. Mais é o antônimo de menos.
Ex.: Quanto mais vejo a indignação do povo, mais tenho esperança no Brasil.
Mais servira se não fora para tão longo amor tão curta a vida. 

Acentuação Gráfica

Regras de Acentuação Gráfica
   Baseiam-se na constatação de que, em nossa língua, as palavras mais numerosas são asparoxítonas, seguidas pelas oxítonas. A maioria das paroxítonas termina em -a, -e, -o, -em,podendo ou não ser seguidas de "s". Essas paroxítonas, por serem maioria, não são acentuadas graficamente. Já as proparoxítonas, por serem pouco numerosas, são sempre acentuadas.

Proparoxítonas
Sílaba tônica: antepenúltima
As proparoxítonas são todas acentuadas graficamente. 
Exemplos:  trágico, patico, árvore

Paroxítonas
Sílaba tônica: penúltima
Acentuam-se as paroxítonas terminadas em:
lcil
nlen
rcaver
psceps
xrax
usrus
i, isri, pis
om, onsiândom, íons
um, unsálbum, álbuns
ã(s), ão(s)órfã, órfãs, órfão, órfãos
ditongo oral (seguido ou não de s)quei, túneis

Observações:
1) As paroxítonas terminadas em "n" são acentuadas (hífen), mas as que terminam em"ens", não. (hifens, jovens)
2) Não são acentuados os prefixos terminados em "i "e "r". (semi, super)
3)  Acentuam-se as paroxítonas terminadas em ditongos crescentes: ea(s), oa(s), eo(s), ua(s), ia(s), ue(s), ie(s), uo(s),io(s).
Exemplos:
    várzea, mágoa, óleo, régua, férias, tênue, cárie, ingênuo, início
    Oxítonas
    Sílaba tônica: última
    Acentuam-se as oxítonas terminadas em:
      a(s):sofá, sofás
      e(s):jacaré, vocês
      o(s):paletó, avós
      em, ens:ninguém, armazéns

    sábado, 26 de maio de 2012

    Eu acordo é meio diaJá tropeço estou de péE o telefone toca,Não consigo ver quem é
    Eu me olho no espelhoE dou um gole pra sairVou gritar até deixarVocê sem saber pra onde ir
    Sombra e unha pretaMinha pele, é minha jaquetaUma rosa tatuadaVocê vai lembrar de mim
    Sombra e unha pretaMinha pele, é minha jaquetaEu só faço o que eu queroVocê vai ter que me engolir
    E não tente me prenderPorque eu já não consigo mais parar de aproveitarVou te mostrar
    Se quiser me conhecer,Senta aqui pra me escutarNão tente me prenderSem chances, eu vou me soltar 

    quarta-feira, 23 de maio de 2012

    Vai pela luz comigo. Você não vai gostar de conhecer o meu lado negro.

    Exija muito de si mesmo e espere pouco dos demais. Só assim não se aborrecera.
    O desconfiado acha que esta sendo enganado, o paranóico tem certeza.
    O que mais me impressiona nos fracos é que eles precisam humilhar pessoas para se sentirem bem.

    Sou o que sou

    Sou o que sou e a vida é assim
    Não, não vai ser fácil você ganhar, chegar em mim
    Sou o que sou, você tem que saber
    Esse é o meu jogo e eu nunca vou perder
    Sou o que sou

    Só eles entendem

    Apoie essa causa

    Eu queroooooo

    Bolsa Revolution
    Bolsa The Beatles
    Bolsa Rolling stones show
    Bolsa Rolling Stones show
    Bolsa Led Zeppelin
    Bolsa Led Zeppelin

    Camiseta AC/DC
    Camiseta AC/DC

    Epitáfio Titãs

    Dias normais

    Deveria vender em farmácia

    John Lennon

    Barão Vermelho

    domingo, 20 de maio de 2012

    Morte

    Acorda a noite
    Em luxuosos mantos de cetim
    Eu levanto-me
    E respiro o ar de mortos.
    Procuro o sangue dos vivos
    Sangue dos futuros mortos
    Procuros gritos de horror
    A faces a desmair de dor,
    Voo no veludo da solidão
    Por bosques e pantanos
    Mergulho na morte sem perdão
    E choro pela vida que não me resta.
    Eternamente a coruja me acorda
    O morcego meu fiel companheiro
    Deste caixão de almas mortas
    Onde sem querer me tornei rainha.

    O sussurros fitam a minha mente
    A loucura de ser espectro.
    As flores podres a meus pés
    A Lua que brilha beijando-me a mão,
    Não temendo o meu ser
    Aceitando a minha sina.
    As lagrimas não escorrem
    Apenas sorrisos impediosos
    Se escondem no meu veu de seda.

    Para sempre o acordar, nas noites solitárias, em que a Lua me inventa uma nova historia.

    Adjetivos

    Adjetivo é a palavra que expressa uma qualidade ou característica do ser e se "encaixa" diretamente ao lado de um substantivo.
    Ao analisarmos a palavra bondoso, por exemplo, percebemos que além de expressar uma qualidade, ela pode ser "encaixada diretamente" ao lado de um substantivo:homem bondoso, moça bondosa, pessoa bondosa.
    Já com a palavra bondade, embora expresse uma qualidade, não acontece o mesmo; não faz sentido dizer: homem bondade, moça bondade, pessoa bondade.
    Bondade, portanto, não é adjetivo, mas substantivo. 

    Flexão de Gênero

    Quanto a flexão de gênero, os adjetivos são divididos em dois tipos ou gêneros:
    • Adjetivos uniformes : Apresentam uma única forma para os dois gêneros (masculino e feminino). Exemplos: capaz, competente.
    • Adjetivos biformes : Apresentam duas formas para os dois gêneros (masculino e feminino). Exemplo: o homem burguês (masculino)/a mulherburguesa (feminino)
    Para formar o feminino, os adjetivos levam a vogal -a no final do adjetivo e para formar o masculino eles levam a vogal -ono final do adjetivo. Exemplo: criativo (masculino)/criativa(feminino). Pode haver exceções, como no caso dos masculinos terminados em -eu, que podem fazer o feminino em -eia (europeu, europeia).

    Flexão de Número

    O adjetivo flexiona-se no plural de acordo com as regras existentes para o substantivo.
    • Nos adjetivos compostos, como regra geral, só o último elemento vai para o plural. Exemplo: poemas herói-cômicos
    Há exceção para o adjetivo surdo-mudo, que faz o plural surdos-mudos.
    • Não há variação de número nem de gênero para os seguintes casos:
      • adjetivos compostos com nome de cor + substantivo: olhos verde-mar
      • adjetivo azul-marinho: calças azul-marinho
      • locuções adjetivas formadas pela expressão cor + de + substantivo: chapéus cor-de-rosa
      • os substantivos empregados em função adjetivas quando está implicita a ideia de cor: sapatos cinza
    Regras para flexão de número para adjetivos compostos
    • Nos adjetivos compostos, só o último elemento vai para o plural
    Exemplos:
    • lente côncavo-convexas
    • Nos adjetivos cores, eles ficam invariáveis quando o último elemento for um substantivo
    Exemplos:
    • papel azul-turquesa/papéis azul-turquesa;
    • olho verde-água / olhos verde-água

    segunda-feira, 14 de maio de 2012

    As cocadas

    Eu devia ter nesse tempo dez anos. Era menina prestimosa e trabalhadeira à moda do tempo.
    Tinha ajudado a fazer aquela cocada. Tinha areado o tacho de cobre e ralado o coco. Acompanhei rente à fornalha todo o serviço, desde a escumação da calda até a apuração do ponto. Vi quando foi batida e estendida na tábua, vi quando foi cortada em losangos. Saiu uma cocada morena, de ponto brando atravessada de paus de canela cheirosa. O coco era gordo, carnudo e leitoso, o doce ficou excelente. Minha prima me deu duas cocadas e guardou tudo mais
    numa terrina grande, funda e de tampa pesada. Botou no alto da prateleira.
    Duas cocadas só... Eu esperava quatro e comeria de uma assentada oito, dez, mesmo. Dias seguidos namorei aquela terrina, inacessível. De noite, sonhava com as cocadas. De dia as cocadas dançavam pequenas piruetas na minha frente. Sempre eu estava por ali perto, ajudando nas quitandas, esperando, aguando e de olho na terrina.
    Batia os ovos, segurava gamela, untava as formas, arrumava nas assadeiras, entregava na boca do forno e socava cascas no pesado
    almofariz de bronze.
    Estávamos nessa lida e minha prima precisou de uma vasilha para bater um pão-de-ló. Tudo ocupado. Entrou na copa e desceu a terrina, botou em cima da mesa, deslembrada do seu conteúdo. Levantou a tampa e só fez: Hiiii... Apanhou um papel pardo sujo, estendeu no chão, no canto da varanda e despejou de uma vez a terrina.
    As cocadas moreninhas, de ponto brando, atravessadas aqui e ali de paus de canela e feitas de coco leitoso e carnudo guardadas ainda mornas e esquecidas, tinham se recoberto de uma penugem cinzenta, macia e aveludada de bolor.
    Aí minha prima chamou o cachorro: Trovador... Trovador... e veio o Trovador, um perdigueiro de meu tio, lerdo, preguiçoso, nutrido, abanando a cauda. Farejou os doces sem interesse e passou a lamber, assim de lado, com o maior pouco caso.
    Eu olhando com uma vontade louca de avançar nas cocadas. Até hoje, quando me lembro disso, sinto dentro de mim uma revolta – má e dolorida - de não ter enfrentado decidida, resoluta, malcriada e cínica, aqueles adultos negligentes e partilhado das cocadas bolorentas com o cachorro.
    Cora Coralina.

    segunda-feira, 7 de maio de 2012

    Radix

    É uma palavra latina que significa raiz. Em latim o substantivo radix era empregado tanto em sentido próprio ( raiz de uma planta) como em sentido figurado.
    Dependendo dependendo do contexto, radix podia significar, como raiz em português, base, fonte, fundamento, origem.